sexta-feira, 6 de junho de 2014

Assinalado o centenário da chegada do Comboio à Longra


Na tarde do último sábado de Maio decorreu, primeiro na área central da atual vila da Longra e depois na parte alta da freguesia de Rande, a comemoração da passagem de 100 anos desde que chegou à antiga povoação da Longra o comboio do Vale do Sousa, oficialmente conhecido por Comboio de Penafiel à Lixa e Entre os Rios.

Não podemos descrever como desejaríamos o acto, em virtude do autor destas linhas não ter podido estar presente, por motivos da vida particular - apesar de convidado, mas ausente da terra por esses dias. 

Contudo, conforme o eco chegado, sabe-se que a maioria da população apenas se apercebeu ao toque da fanfarra, na própria hora, tendo sido quase desconhecida a ocorrência, por falta de promoção, não tendo sido antes afixado qualquer cartaz, nem havido quaisquer avisos por outros meios oficiais. A não ser, chegando então aos que andam a par da informação pública e se interessam por assuntos culturais, em notícias atempadamente divulgadas pelo site informático da Câmara Municipal de Felgueiras, pelas edições impressas do jornal Semanário de Felgueiras e Jornal da Lixa, mais pela Rádio Felgueiras e por este blogue.

Diversas informações nos chegaram, posteriormente, entre opiniões pessoais e transmissões amigas, que retemos na memorização personalizada. Para efeitos publicistas, porém, limitamo-nos ao que veio a público, naturalmente.

Assim, servindo-nos do que posteriormente foi publicado na edição mais recente do Semanário de Felgueiras e, desta vez também no Expresso de Felgueiras, registamos a efeméride, para constar.

- Clicar sobre os recortes digitalizados, para ampliar e ler as reportagens noticiosas do 

Semanário de Felgueiras
~
e do Expresso de Felgueiras

(Convém anotar que o Expresso de Felgueiras, atualmente mensal e de distribuição gratuita, apesar de datado do dia 30, foi distribuído passado uma semana. Explicando-se isso porque refere a notícia conforme havia sido noticiado na página municipal, quando a placa não foi colocada em frente à farmácia, mas sim no antigo lugar da Estação, junto à ponte, onde paravam os comboios. Atual rua Conselheiro Dr. António Mendonça.)

Quanto à sessão pública de homenagem ao Conselheiro de Rande (a que, pela tal falta de informação, segundo consta, muitas pessoas não assistiram por ter havido pensamento popular que seria apenas para convidados), dizem-nos que a alocução sobre a linha férrea, proferida pelo sr. Ferreira, penafidelense autor de um livro ali apresentado, pecou por ter incidido quase só sobre o que respeitava a Penafiel e Lousada da passagem do comboio em apreço, com alguns ténues laivos sobre Felgueiras.

Por fim retemos o que nos chegou ao conhecimento da intervenção do orador oficial, Dr. Albano Mendonça, cujo texto (que não publicamos pela natural extensão) deambulou num discurso sobre enquadramento de algumas ligações familiares do homenageado e outras considerações relacionadas com o mesmo personagem histórico da região.

Acrescente-se, por na ocasião não ter sido referido o seu currículo, que a respetiva biografia do Conselheiro de Rande está ao correr de diversas páginas do nosso livro "Memorial Histórico de Rande e Alfozes de Felgueiras", publicado em 1997. Onde também consta diversa matéria sobre o comboio em equação.

Armando Pinto

Um comentário:

  1. A C leitor felgueirense9 de junho de 2014 19:25

    Incrível como o tal autor do livro e conferencista não leu o livro Memorial Histórico de Rande e Alfozes de Felgueiras , que deve onde há assunto do comboio na Longra, para se documentar e pelo contrário ter passado ao lado a falar de Penafiel, Lousada e Felgueiras, esquecendo a Longra. o que levou alguns assistentes a levantarem a voz a criticar e a dizerem para andar depressa e com coisas de mais interesse. Mas quem o convidou teve culpa por não ter havido preparação do ato. Do que se viu houve coisas feitas em cima da hora, como colocação da bandeira na placa com a fanfarra quase a chegar ao sítio, a presença dum pároco doutra freguesia e o da paróquia não, enfim.

    ResponderExcluir