quarta-feira, 8 de maio de 2019

Recordando: Um saliente académico felgueirense… a propósito da época da tradicional queima das fitas estudantis


Em tempo de maio moço, e sempre pelos inícios deste mês das flores e dos amores, têm lugar anualmente as tradicionais festas de estudantes, no encerramento do ano letivo universitário – a queima das fitas, no âmbito do fim de curso académico. Festividades, então, de celebração dos finalistas, a que se associam todos os estudantes, desde os caloiros aos restantes universitários.

Ora, nesta época, vem a propósito recordar um antigo estudante felgueirense, entre os muitos que naturalmente fizeram boa figura. Neste caso a talhe de sua foto oficial de finalista, como nesse e outros tempos era da praxe posar à posteridade, com capa e pasta com as correspondentes fitas. Reportando a esse que depois veio a ser famoso Administrador do Concelho de Felgueiras nos inícios da Primeira República e mesmo após a derrota da Monarquia do Norte e consequente reimplantação da República, o Dr. António Pinto Sampaio e Castro.

Foto histórica esta que assim retrata o Dr. António Castro, Administrador do Concelho entre 1910 a 1912, depois de 1915 a 1917 e em 1919. Personagem da vida concelhia nas primeiras décadas do século XX, que a par de sua ação de administração político-local, foi também Conservador do Registo Civil de Felgueiras.
De modo que sua assinatura consta dos registos de nascimentos, casamentos, óbitos e outros documentos e comprovativos civis desses tempos. Um senhor da família Castro, oriundo do Unhão, que residiu na Longra e na Casa da Leira, em Rande. Cuja memória, pelo menos, tem homenagem pública com a atribuição de seu nome numa rua da Longra, na área do antigo lugar de Cimalhas de cima.

Armando Pinto
((( Clicar sobre a imagem, para ampliar )))